bianca-ad-hd
Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167

Floriani Equipamentos para Escritorio=

A variação de temperatura provou a morte de mais de 2 mil ovelhas em propriedades do Rio Grande do Sul, entre sábado e segunda-feira (14). Entre as cidades atingidas está Quaraí, que fica próxima a divisa com Uruguai. De acordo com informações do veterinário de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul, Diego Azeredo, no município 12 propriedades registraram morte.

Conforme o veterinário, casos também foram registrados em Santana do Livramento e em Uruguaiana. “Tem somado 12 propriedades que tiveram mortes de ovelhas no município. Tem casos de propriedades que perderam seis animais até que perderam 210. Mas temos situações no município de Santana do Livramento em pelo menos três propriedades – que também registaram de 220 até 300 animais mortos cada. Uruguaiana teve uma propriedade que perdeu cerca de 500 animais. Tem casos no norte do Uruguai, na divisa com a gente, em Artigas em que propriedades perderam em torno de 300 animais também. Está bem espalhado aqui na região da fronteira Oeste”.

O profissional explicou que é uma situação que geralmente acontece, mas não com a dimensão registrada nos últimos dias. Além disso, que trata-se de “uma falha de manejo em virtude deste evento climático bastante adverso”

“Sabemos que pode acontecer após a esquila (tosa da lã ), quando esses animais acabam morrendo por pneumonia aguda por causa da variação da temperatura. Eles morrem de hipotermia”.

Apesar de ser algo que pode ocorrer, Azeredo salienta que a situação pegou muitos de surpresa, pois não se esperava uma variação tão alta de temperatura. Casos como esses podem ser evitados, segundo o profissional. Uma das maneiras é manter os animais em algum lugar fechado, após esquila {tosa), para evitar que peguem chuva e frio intenso.

Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167