bianca-ad-hd
Signs direct voters into a polling station during the 2020 U.S. presidential election in Durham, Durham County, North Carolina, U.S., November 3, 2020. REUTERS/Jonathan Drake
Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167

Floriani Equipamentos para Escritorio=

Um juiz federal negou um pedido de emergência feito pela equipe de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na quinta-feira (5) para interromper a contagem dos votos na Filadélfia enquanto observadores republicanos não estivessem presentes.


A equipe de Trump acionou a Comissão Eleitoral do condado da Filadélfia no início do dia, pleiteando uma liminar de emergência.

A equipe disse que autoridades eleitorais estavam “se recusando intencionalmente a permitir quaisquer representantes e observadores eleitorais do presidente Trump e do Partido Republicano”. A ação civil foi apresentada ao Tribunal Federal da Filadélfia.

“Como dito durante a audiência da liminar de emergência de hoje [quinta-feira], à luz do acordo das partes, a moção do requerente é negada sem direito a apelação”, disse o juiz distrital Paul Diamond na decisão emitida na noite de quinta-feira (5).

Mais cedo no mesmo dia, um tribunal estadual de apelações determinou que mais observadores republicanos poderiam entrar no edifício da Filadélfia onde funcionários contavam votos.

O Serviço Postal dos EUA disse que cerca de 1.700 cédulas foram identificadas na Pensilvânia em instalações de processamento durante duas inspeções na noite de quinta-feira e que estão a caminho de serem entregues à autoridades eleitorais.

Trump disse diversas vezes, sem provas, que os votos enviados pelo correio estão sujeitos a fraude, mas especialistas em eleições dizem que fraudes são algo raro nas votações norte-americanas.

*Com informações da Agência Brasil

Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167