bianca-ad-hd
Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167

Floriani Equipamentos para Escritorio=

E terminou mais um Transcatarina altamente disputado – no segundo a segundo, na mínima precisão da navegação e da pilotagem. De 27 a 31 de outubro, 195 carros estiveram alinhados para a 12ª edição do evento, que teve como largada e chegada a cidade de Fraiburgo, com pernoites em Treze Tílias e Caçador. O encontrou recebeu pilotos e navegadores de 116 municípios e nove estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiânia e Espírito Santo).

Os participantes estavam divididos em 11 categorias, sendo de competição (Máster, Graduados, Turismo, Turismo Iniciante e Turismo Light), e de passeio (Passeio Expedition, Passeio Radical 1 e 2, e Adventure 1, 2 e 3).

Antes de entrar no local da concentração do Transcatarina, todos os participantes – incluindo o staff – foram obrigados a fazer o teste do Covid-19 para detectar a presença do coronavírus em indivíduos assintomáticos e sintomáticos, e apresentar o resultado negativo à organização do evento. No decorrer dos dias, mantiveram-se todas as condutas de segurança, tais como, o uso de máscaras e higienização de mãos e equipamentos com álcool 70%.

Faltou pouco para o penta

Foram quatro dias de disputas, a contar com o prólogo que também valeu pontos pela classificação geral. Não é novidade que a competitividade no Transcatarina é extremamente acirrada, sendo que a cada etapa a classificação geral tinha sobe e desce de posições entre os competidores. No total, foram percorridos cerca de 600 quilômetros pelo centro oeste catarinense.

O piloto corupaense Acyr Hideky Rodrigues da Silva ocupou o sétimo lugar no ranking da categoria Máster, ao lado do navegador Renan Medeiros (de Blumenau, SC). De acordo com o piloto, a quebra da barra de direção logo no primeiro dia de rali, tirou as chances da dupla de brigar pelo título da competição. “Mas não desistimos, e marcamos presença em todas as etapas para tentar incomodar nossos concorrentes”, brincou o piloto. “O mais importante é competir e estarmos juntos dos amigos. O rali de regularidade é especial por conta disso, a rivalidade só dentro das trilhas, porque fora, somos todos amigos”, concluiu.

Para o corupaense, o 12º Transcatarina estava sensacional. “Os trechos navegados foram bem medidos, com médias de velocidade justas e referências bem próximas. Ficamos felizes com os nossos companheiros de equipe, que conquistaram o título de 2020”, disse Acyr, referindo-se aos campeões, Leandro Pereira Moor (Ximura) e Claudio Roberto Flores (Bilu).   

 

A importância da credibilidade

O Transcatarina fez 12 anos de vida e com uma organização grandiosa e impecável, sob o comando de Edson João da Costa, o evento reúne pessoas de diversas regiões do Brasil, com uma mistura de culturas e sotaques. Por meio da alegria, da união e, com os jantares de confraternização e premiação, traz um tom especial ao evento, que é um dos mais aguardados pela nação off-road.

Família! Essa é a palavra que resume o Transcatarina. “Agradecemos imensamente aos nossos patrocinadores, as prefeituras locais e aos proprietários de fazendas que, mesmo em um ano tão difícil e diferente, confiou na nossa proposta e nos ajudou na realização da 12ª edição. Graças aos esforços de uma equipe dedicada e parceiros fiéis, fizemos o Transcatarina 2020, com a certeza de que em 2021, tudo será ainda melhor”, encerrou Costa.

Classificação Geral – 12º Transcatarina

27 a 31 de outubro

 

Categoria Máster

1º Leandro Pereira Moor / Claudio Roberto Flores (Apucarana, PR / Itajaí, SC), 113 pontos

2º Marcelo de Freitas Gouveia / Igor Quirrenbach de Carvalho (Curitiba, PR / Castro, PR), 113 pontos

3º Flavio Roberto Kath / Rafain Walendowsky (Blumenau, SC / Brusque, SC), 112 pontos

4º Leandro Rodrigo Riffel / Michael da Silveira Masson (Piratuba, SC / Capinzal, SC), 106 pontos

5º Victor Pudell / Ronando Willian Rodrigues dos Santos, (Toledo, PR / Curitiba, PR), 98 pontos

Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167