bianca-ad-hd
Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167

Floriani Equipamentos para Escritorio=

O delegado-geral de Polícia de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, afirmou que a Polícia Militar do Paraná irá anunciar que se confundiu e que Paulo Cupertino, acusado de assassinar o ator Rafael Miguel e os pais dele, não foi preso no norte paranaense. Mais cedo, Fontes havia informado a imprensa de que o assassino havia sido preso. As informações são do G1.

Segundo ele, foi a Polícia Militar do Paraná que voltou atrás na informação. O general João Camilo Pires de Campos, secretário da Segurança Pública de São Paulo, já havia indicado cautela quanto à informação em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na tarde de hoje.

“Por enquanto é informe, e não informação. O que recebi do delegado geral é que ainda buscamos confirmação desse evento. Não está confirmado”, disse. Segundo informações veiculadas hoje mais cedo no SP1, da TV Globo, um homem que seria Cupertino teria sido reconhecido por policiais em uma blitz de trânsito na cidade de Centenário do Sul (PR).

A Polícia Militar do Paraná nega que tenha comunicado a informação da prisão de Cupertino. A PM “esclarece que não existiu a prisão de Paulo Cupertino por parte de equipes policiais militares, bem como não existiu comunicado oficial a nenhum órgão ou instituição de que teria havido tal prisão. Houve um equívoco por parte da autoridade policial de São Paulo ao efetuar tais informações”.

De acordo com a PMPR, “não pode ter havido confusão sobre uma informação que não foi dita pela PMPR”. A Polícia Civil do Paraná (PCPR) também se manifestou via assessoria de imprensa por meio de nota. A instituição informou que “não divulgou informações, assim como não confirmou, em nenhum momento, a prisão de Paulo Cupertino. Também não foi feita solicitação de informações ou contato com a Polícia Civil de São Paulo que tratasse de uma suposta prisão”, diz.

*Com informações do UOL.

 

Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167