Polícia civil cumpre mandados de busca e apreensão em Mafra e Barra do Sul. A suspeita é de fraude em licitações.

348
bianca-ad-hd
Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167

Floriani Equipamentos para Escritorio=

A Polícia Civil de Mafra, em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça e o Instituto Geral de Perícias (IGP), realizou na manhã desta quarta-feira (11) a operação “Hora Extra” para  cumprir mandados de busca e apreensão nos municípios de Mafra e Balneário Barra do Sul. A investigação apura suspeitas de fraude a licitações, peculato, corrupção ativa e passiva por agentes públicos e empresários de Mafra. Durante a operação, um servidor foi preso em flagrante com duas espingardas.

Segundo o delegado Nelson Vidal, o esquema investigado está relacionado à contratação de empresas para fornecimento de serviços de horas-máquinas e a execução de obras no interior de Mafra, em 2019. Os mandados judiciais foram cumpridos em Mafra, Araquari, Itaiópolis e Papanduva. O IGP acompanhou as diligências.A fraude consiste em utilizar horímetros (servem para mostrar o tempo de operação de máquinas, equipamentos e outros dispositivos) secundários que marcavam horas de trabalho da máquina somente com a energia da bateria do veículo. A fraude acabava por remunerar com dinheiro público serviços que não eram realizados efetivamente pelas máquinas.

Banner-Web-Portal-O-Corupaense-640x167