Início Cidade Falando Francamente: gesto de grandeza! Vereadores aprovam projeto de pavimentação comunitária em...

Falando Francamente: gesto de grandeza! Vereadores aprovam projeto de pavimentação comunitária em Corupá. Agora é com o prefeito!

332
0
COMPARTILHAR

Demonstrando inegável gesto de grandeza, os vereadores de Corupá  aprovaram durante sessão do legislativo na noite desta segunda-feira (29), o projeto do executivo que modifica o texto original e permite a adesão de, pelo menos, 70% dos moradores para a pavimentação de uma rua. À exceção do vereador, Jony Tribes (MDB) que se absteve, os demais foram favoráveis à matéria. O presidente da câmara, emedebista Lairton Müller, que só vota em caso de empate,usou a tribuna para manifestar seu apoio ao projeto.Embora os discursos tenham sido de cobrança ao prefeito, João Carlos Gottardi (PSD), diante de compromissos assumidos durante a campanha eleitoral e não cumpridos até agora, a maioria cedeu aos apelos dos moradores que buscam a pavimentação das ruas onde residem e deu aval à iniciativa, ressaltando que reforçarão a cobrança para  a pavimentação das 40 ruas, bem como a construção de uma nova estação de tratamento de água, a conclusão do novo prédio administrativo e a aquisição de novos maquinários, seja cumprida.

Empréstimo de R$ 7 milhões

Após a aprovação do projeto de pavimentação comunitária, os vereadores ratificaram, por unanimidade, a autorização ao executivo para que contraia  junto à Caixa Econômica Federal um empréstimo de até R$ 7 milhões para execução das obras prometidas. Diante do aval dado pelo legislativo local, cabe agora ao prefeito, João Carlos Gottardi, o cumprimento dos compromissos assumidos e pelo que se viu durante a sessão, fiscalização e cobranças não faltarão. O vereador, Alaor Durate (PSDB), por exemplo, disse não acreditar que seja possível a pavimentação de tantas ruas, posição acompanhada por muitos que o sucederam no uso da palavra. Ao frigir dos ovos, o que se percebeu na sessão é que agora o peso recai integralmente nos ombros do executivo que se sentirá obrigado e cobrado para a realização do prometido e os moradores que pressionaram os vereadores reticentes à matéria, farão um pouco mais quando o assunto sair (e terá) do discurso para a prática.